Com medidas restritivas adotadas pelo Governo do Estado, Rio de Janeiro tem desaceleração de casos de coronavírus e evita cerca de 80 mil mortes

Pioneiro no país por determinar medidas de isolamento social como prevenção no início da pandemia, em março, o Estado do Rio de Janeiro pôde poupar as vidas de cerca de 80 mil pessoas que possivelmente teriam sido vítimas de Covid-19. Nesta terça-feira (30/06), o acumulado de óbitos no território fluminense chegou a 10 mil, de acordo com o Painel Coronavírus. Apesar de significativo, o número é bem abaixo dos 91.530 óbitos projetados até 30 de junho em estudo interno da Defesa Civil estadual, caso as medidas de controle não tivessem sido decretadas pelo governador Wilson Witzel, em 13 de março.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Alex Bousquet, sem as medidas tomadas pelo governo do estado, os efeitos do novo coronavírus teriam sido muito piores:

– O que provocou a redução dos óbitos foram as medidas de isolamento implementadas pelo rapidamente Governo do Estado, além da preparação do sistema de saúde. Na rede estadual, o Instituto Estadual do Cérebro, e os hospitais Pedro Ernesto, Zilda Arns e Anchieta foram referenciados para receber pacientes de Covid-19. Além disso, houve abertura de leitos em municípios do interior do estado – disse o secretário.

O cenário atual do Estado do Rio de Janeiro é de desaceleração da epidemia. A secretária de Estado Extraordinária de Enfrentamento à Covid, Flávia Barbosa, destaca que os indicadores em decréscimo sinalizam uma volta gradativa e monitorada das atividades econômicas e sociais.

– As restrições precoces adotadas no Estado do Rio de Janeiro foram decisivas. Hoje, observamos menores notificações tanto de casos de óbitos por coronavírus quanto de infecções por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Verificamos também uma melhora da taxa de ocupação de leitos de enfermaria e de UTI. Outro dado expressivo é a redução da letalidade da doença no estado – explicou a secretária.

Além das mortes evitadas, o número de recuperados também é uma marca a ser destacada: mais de 93,4 mil pacientes com coronavírus foram curados, o equivalente a 83% dos 112.611 casos confirmados até esta terça-feira no boletim oficial do Covid-19.

FIQUE POR DENTRO