Encontro Estadual do Programa Bolsa Família na Saúde – Desafios e Perspectivas em tempos de Pandemia é tema de webinar da SES

Nesta quarta-feira, 16 de setembro, aconteceu o Encontro Estadual do Programa Bolsa Família na Saúde – Desafios e Perspectivas em tempos de Pandemia. O evento foi realizado pela Subsecretaria de Gestão da Atenção Integral à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro, em parceria com a Área Técnica de Alimentação e Nutrição (ATAN) da SES e a Coordenação Estadual do Programa Bolsa Família (PBF).

Coordenador do Programa Bolsa Família do Rio de Janeiro, Miguel Ângelo explicou que o cadastro único de modo geral está sendo cada vez mais utilizado por diversos programas. As pessoas sempre fazem associação ao bolsa família, mas recentemente, foram feitas distribuições de cestas básicas no estado do Rio de Janeiro. A equipe precisa sempre de um recorte, extrair as famílias que estão em situação de pobreza e, por isso, necessitam desse auxílio.

A médica da ATAN da SES, Thais Severino agradeceu o empenho da sua equipe e disse ser uma honra trabalhar com um projeto como o Bolsa família, uma política focada em diminuir as vulnerabilidades e as iniquidades do país desde o seu surgimento, em 2003. Apoiadora do Programa Bolsa Família na ATAN da SES, Laura Jane Neumann apresentou um consolidado da pesquisa intersetorial do Programa Bolsa Família da Saúde. De acordo com ela, o programa vem se mantendo há 16 anos e crescendo graças aos esforços dos funcionários que ali atuam. Para melhorar cada vez mais o serviço, foram desenvolvidas ferramentas como capacitação de profissionais e o desenvolvimento de estratégias para se aproximar desse público. Um deles é a pesquisa.

“A pesquisa foi realizada no intuito de levantar informações sobre a estrutura, o funcionamento e a articulação intersetorial das coordenações municipais, visando conhecer as estratégias, para a melhoria das coberturas das condicionalidades de saúde dos beneficiários dos municípios”, afirmou Laura.

Outro participante do encontro foi o gerente do programa de transferência de renda e benefícios socioassistenciais da Secretaria Estadual de Assistência Social e Cidadania do Piauí, Roberto Oliveira. O profissional falou sobre a forma como a Covid-19 dificultou ainda mais a vida das pessoas que passam por dificuldades financeiras e a diferença que o bolsa família tem feito na vida delas.

Ao questionar sobre as formas como as desigualdades estão sendo tratadas em tempos de pandemia, Roberto afirma que o Coronavírus tem mostrado cada vez mais que o Brasil é um país muito desigual, com muitas famílias que não têm acesso a energia, abastecimento de água tratada, saneamento básico e moradias pequenas e lotadas. “Essas são algumas realidades que a Covid-19 tem mostrado e que nós, enquanto gestores públicos, precisamos ter consciência e tentar dialogar, para que a gente possa pensar em estratégias para melhorar as condições de vida dessas pessoas”.

Roberto ainda listou os impactos do Programa do Bolsa Família na Assistência Social. São eles: fortalecimento dos vínculos familiares, diminuição da violência doméstica, empoderamento da mulher, fortalecimento do protagonismo dos usuários e incentivo ao empreendedorismo e geração de renda. O evento também contou com a participação da coordenadora do Programa Bolsa Família da Secretaria de Estado do Mato Grosso, Maria da Penha Ferrer.

FIQUE POR DENTRO