Fórum Permanente Estadual de Atenção Primária à Saúde discute propostas para retomar atendimento integral à população

A retomada integral das atividades da rede de Atenção Primária de saúde no estado do Rio de Janeiro foi tema central de debate do 32º Fórum Permanente Estadual da Atenção Primária à Saúde (APS). O evento, promovido nesta quarta-feira (05/08) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), reuniu gestores e profissionais de saúde engajados na contenção da pandemia da Covid-19. Entre os conferencistas, a articulação das redes de saúde foi destacada como fundamental tanto para a redução da pandemia no estado, como para o reinício do serviço integral nas unidades de saúde.

Os palestrantes do fórum frisaram a necessidade de readequar os espaços das unidades de saúde para prestar o atendimento com menor risco possível de contaminação. Para a presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Rio de Janeiro (COSEMS), Maria da Conceição Souza Rocha, a reorganização física dos espaços, por exemplo, na área de saúde bucal, será uma urgência no pós-pandemia: “Não podemos mais ter três cadeiras de dentista produzindo aerossóis. Vamos ter que trabalhar muito, tanto no serviço prestado, como na parte física”.

Segundo a superintendente de Atenção Primária à Saúde (SAPS), Thaís Severino da Silva, o atendimento das equipes de APS já tem sido feito com acompanhamento de experiências de outros países no combate à pandemia. Para a volta do trabalho integral da APS, é preciso uma avaliação contínua em cada região do estado sobre a situação da pandemia e da capacidade de resposta da rede de saúde às demandas locais. “A reorganização das atividades deve ocorrer de forma segura, gradativa, planejada, regionalizada, monitorada e dinâmica. Não é possível que a gente pense em retomada sem estar sensível a cada território”, afirmou.

A cooperação entre as equipes de profissionais de saúde de unidades da atenção básica foi reiterada como caminho para atender não só pessoas infectadas pela Covid-19, como pacientes acometidos por outras doenças durante a pandemia. Para isso, a facilitadora do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Alzira Nery, destacou que já existe o “Guia Orientador para o enfrentamento da pandemia Covid-19 na Rede de Atenção à Saúde”, voltado para sistematizar as ações para gestores estaduais e servidores do SUS: “Ele contempla todos os pontos de atenção à saúde e conta com recomendações para processos de trabalho, atenção ambulatorial organizada, redes de emergência, SAMU e unidades perinatais”. A versão atualizada do guia está disponível on-line no site do CONASS.

Assista ao encontro: Parte 1 e Parte 2.

FIQUE POR DENTRO