Unidades de saúde recebem “protocolo de atendimento às pessoas em situação de violência”

SES lança material que reconhece a violência como um problema de saúde pública e orienta profissionais para a melhor forma de acolher e cuidar das pessoas que precisem de atendimento.

 

 

Com o isolamento social, o número de denúncias de violência doméstica aumentou no Rio de Janeiro. Segundo o TJRJ, houve aumento de mais de 50% no número de denúncias desde que o distanciamento começou. Isso impacta o atendimento em unidades de saúde e, por isso, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) lançou um material específico para orientar e auxiliar gestores, diretores das unidades e profissionais de saúde da rede estadual na identificação e atendimento de casos de violência. O “Protocolo de Atendimento às Pessoas em Situação de Violência” será enviado para todas as unidades e trabalha com o conceito da violência como um problema de saúde pública.

O secretário de estado de Saúde, Edmar Santos, ressalta que o papel dos profissionais de saúde pode ir além da assistência e contribuir com a prevenção de novos casos. “Ao seguir o protocolo, os profissionais conseguem identificar os casos de violência com mais clareza e notificar às autoridades competentes, conforme exigência legal. O material busca aperfeiçoar o fluxo e qualificar o atendimento às pessoas em situação de violência nas unidades de saúde do estado”, explica.

O protocolo apresenta os principais sinais que indicam suspeita de violência, além de reforçar que o sigilo e a privacidade devem ser garantidos por todos os profissionais de saúde que prestam atendimento às vítimas. De forma didática, o material explica o passo a passo e as responsabilidades de cada categoria profissional envolvida no atendimento.

Acesse o protocolo no link abaixo:

Protocolo de Atendimento às Pessoas em Situação de Violência