Secretaria de Estado de Saúde realiza webinar sobre a importância de EPI na pandemia

Equipamentos de Proteção Individual (EPIs): a utilização de suas práticas de forma segura. Esse foi o tema da webinar realizada nesta sexta-feira, dia 28 de agosto, pela equipe de segurança do paciente da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Coordenadora da Coordenação Estratégica em Segurança do Paciente da Superintendência de Monitoramento da Qualidade das Unidades de Saúde da SES, Nadia Nascimento abriu o encontro afirmando que o setor tem buscado formas de difundir conhecimento e melhorar as práticas de segurança para quem procura a rede  de saúde. Com a palestra, o setor traz mais aprendizado para os profissionais, principalmente neste momento de pandemia de coronavírus.

Palestrante do dia, Sibele Buonora, pediatra e infectologista, baseou sua fala em uma apresentação sobre o equipamento de proteção individual: uso e desuso nas práticas seguras e na pandemia. Segundo a profissional, é sempre importante avaliar os elos dos ciclos de transmissão, que são cinco: agente, superfície, porta de saída, modo de transmissão e porta de entrada.

Sobre o primeiro elo, o agente, Sibele explicou que no caso do vírus, é importante identificá-lo, analisar suas características, diagnosticar e pesquisar sobre o fator de imunidade. Sobre o segundo elo, superfície, de acordo com a profissional, é importante priorizar as superfícies de alto contato como maçanetas de portas e janelas, áreas de cozinha e preparação de alimentos, bancadas, superfícies de banheiro, vasos sanitários, entre outros.

“Todos os dias estamos discutindo esse tema. Na hora da limpeza, sempre vale usar água e sabão primeiro e, depois, realizar a desinfecção. Neste segundo momento, primeiro higienize a área mais limpa e depois a área mais suja. Vale usar hipoclorito de sódio (alvejante/cloro) ou álcool a 70-90%”, ensina.

O terceiro elo é a porta de saída. Ele acontece no contato direto, entre pessoas, ou no contato indireto, por meio de superfícies e objetos. Já sobre a questão do modo de transmissão, Sibele explicou sobre o uso correto da máscara: nas áreas administrativa, use máscara de tecido; no atendimento, máscara cirúrgica e, quando for atender pacientes de Covid-19, máscara N95 para o profissional e o auxiliar. Sibele também ressaltou a importância de manter as mãos higienizadas.

“Desde o início da pandemia, temos batido na tecla da importância de higienizar as mãos. E, ao falar disso, a gente entra um pouco no quinto elo também, que é a porta de entrada do vírus. As mãos manuseiam tudo e, por isso, precisam estar sempre limpas. Porque quando as pessoas esquecem de fazer isso, a doença se espalha”.

No final do evento, Sibele e Nadia externaram preocupação com o fato das pessoas como um todo, inclusive profissionais de saúde, estarem flexibilizando a limpeza e a higiene no dia a dia. Para Sibele, as consequências podem ser bem perigosas. “A população está com uma falsa sensação de proteção. A gente tem falado muito sobre isso, repetidas vezes. Não podemos relaxar agora. Manter a higiene é primordial para nos mantermos seguros”, conclui a palestrante.

FIQUE POR DENTRO