SES promove Workshop sobre coronavírus para mais de 100 profissionais da rede

Mais de 100 profissionais da rede estadual de saúde participaram na última sexta-feira, 28/02, no Centro, de um Workshop sobre o Novo Coronavírus. O encontro, que reuniu profissionais de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais, teve o objetivo de tirar dúvidas sobre a doença e o fluxo de atendimento. No final do encontro, foi aberto espaço para perguntas e resposta sobre o tema.

Até segunda-feira (02/03), o Estado do Rio de Janeiro tem 42 casos suspeitos de coronavírus e ter um procedimento padronizado ajuda na contenção da doença. O encontro foi dividido em duas partes. A primeira destacou o lado clínico da doença, o atendimento ao paciente e a capacidade de transmissão do vírus. O bloco final abordou o Plano Estadual de Contingência do Coronavírus, níveis de atuação e a resposta à doença.

O médico infectologista da Secretaria de Saúde, Gustavo Magalhaes, disse, no auditório da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro, que o vírus tem grande capacidade de transmissão e o paciente apresenta sintomas característicos.

“É uma doença que se transmite de várias formas. Uma delas é de pessoa para pessoa ou pelo ambiente. O paciente infectado apresenta febre, coriza e problemas respiratórios e quem mais adoece são pessoas com idade entre 40 e 70 anos”, falou o infectologista que recomendou lavar as mãos por 20 segundos e o uso de álcool gel como forma de prevenção. Ele também destacou a importância da triagem no atendimento de um caso suspeito e a proteção do profissional de saúde.

Mário Sérgio, superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da SES, explicou como funciona o Plano de Contingência elaborado pelo estado para atuar no bloqueio contra o coronavírus.

“É um movimento organizado da secretaria que visa preparar a rede contra a doença e tem atuação em até três níveis. O plano busca sistematizar as ações e os procedimentos de responsabilidade da esfera estadual, de modo a apoiar em caráter complementar os gestores municipais no que diz respeito à resposta ao coronavírus”, explicou Mário.

Para a coordenadora da UPA do Colubandê, em São Gonçalo, Laylla Daher, a Workshop é importante pois esclarece dúvidas.

“É um tema novo, por isso a importância de estar bem informado para passar os dados corretos aos médicos e enfermeiros da unidade com o objetivo de identificar os casos suspeitos e adotar os protocolos corretos”, avaliou Laylla.

FIQUE POR DENTRO